Maestro

Manuel Lopes da Cruz iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Porto, acabando o Curso de oboé no Conservatório Nacional de Lisboa com a mais alta classificação. Ingressou com 18 anos na Banda da Guarda Nacional Republicana. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian em Paris, tendo como professor Pierre Perlot. Concorreu em 1979 à Orquestra da R.D.P. e fez parte dos seus quadros até à sua extinção. Em 1988 foi convidado a fazer parte de um curso de instrumentistas como professor de oboé patrocionado pelo Fundo Social Europeu.

Como concertista, tocou com as Orquestra Sinfónica Juvenil, R.D.P. de Lisboa e Porto os seguintes concertos:

maestroImg

- Concerto em dó maior para Oboé e Orquestra – Haydn
- Concerto em dó maior para Oboé e Orquestra de Cordas – Cimarosa
- Concerto em dó menor para Oboé e Orquestra de F. Rosetti, 1ª audição em Portugal
- Concerto em dó maior para Oboé e Orquestra, K,314 – Mozart.

É convidado regularmente para colaborar com as Orquestras Fundação Calouste Gulbenkian, Sinfónica Portuguesa e Metropolitana de Lisboa como 1º Oboé, Oboé tutti e Corne Inglês. Com o Maestro Vitorino d’Almeida fez a digressão pela Áustria, Itália, Bélgica e Macau.
Gravou alguns discos com um agrupamento instrumental com música de Vitorino d’Almeida e com o Quinteto de Sopros Solistas de Lisboa. Em Maio de 1999 fez um recital de Oboé e Piano no auditório da R.D.P. em que tocou obras de Beethoven, Poulenc e Eurico Carrapatoso que compôs três peças que intitulou “Atlânticas”, em primeira audição que lhe foram dedicadas.
Foi professor de Oboé na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa e actualmente é professor de Oboé e de Música de Câmara na Fundação Musical dos Amigos das Crianças e director musical da Camerata Musical do Barreiro.”